Vai à festa de fim de ano? Clique e saiba todos os detalhes

Fim de ano. Foto: Sintufrj

Fim de ano. Foto: Sintufrj

Este ano, a Festa de Fim de Ano da categoria realizada anualmente pelo Sintufrj será um pouco diferente: ela contará com espaço muito mais dinâmico e à par do que os sindicalizados merecem. O espaço, no entanto, fica localizado em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Para agilizar a locomoção, a instituição irá fornecer ônibus para o traslado de todos os associados que fizeram suas respectivas inscrições através do site no período em que as mesmas foram disponibilizadas e retiraram seus passaportes na sub-sede do HU ou na Praia Vermelha entre os dias 2 e 4 de dezembro.

Roteiro

Os ônibus sairão da sede do Sintufrj (Fundão), entre 8h e 10h, após completar o número de passageiros; e da Praia Vermelha às 8h30. Todos deverão estar de posse do passaporte e do documento de identidade com foto. A conferência será feita na entrada dos ônibus e no acesso ao local da festa.

Local da festa: Espaço Lonier, na Estrada Frei Tibúrcio, 470, Vargem Grande.
Data: 10/12/2015
Horário: das 11h às 17h.

Greve continua até o fim da negociação

Assembleia-geral. Foto: Renan Silva

Assembleia-geral. Foto: Renan Silva

A assembleia geral dos técnicos-administrativos em educação da UFRJ realizada na quinta-feira, dia 1º de outubro, no auditório do Quinhentão (CCS), deliberou pela continuidade da greve porque ainda prosseguem, em Brasília, as negociações entre o Comando Nacional de Greve (CNG/Fasubra), o MEC e o Ministério do Planejamento iniciada na quarta-feira, dia 30, sobre a minuta do termo de acordo que deverá ser assinado entre as partes.

A reunião entre o CNG/Fasubra e o governo, que no dia anterior havia prosseguido até a meia-noite, estava prevista para ser retomada às 11h30 de quinta-feira, dia 1º de outubro. Estavam em debate algumas alterações no texto da minuta apresentada pelo governo, como, por exemplo, explicitar que o acordo também é extensivo aos aposentados da categoria. Não há divergências nesse item, ou seja, os representantes do governo concordaram com o pleito.

Em virtude do prolongamento da reunião, a orientação do CNG/Fasubra às bases foi para que houvesse nova rodada de assembleias nos dias 5 e 6 (segunda e terça-feira) para confirmação, ou não, do acordo que sairia da reunião.

Decisão da categoria

A assembleia do Sintufrj decidiu seguir a orientação do CNG/Fasubra por ampla maioria – apenas duas pessoas votaram contra e quatro se abstiveram –. A votação também incluiu a realização de nova assembleia na terça-feira, dia 6, às 10h, em local ainda a ser definido.

SPFs fecham Reitoria da UFF e servidora é agredida pela Polícia Federal

Polícia Federal é chamada por Reitor da UFF. Foto: Renan Silva

Polícia Federal é chamada por Reitor da UFF. Foto: Renan Silva

Os servidores públicos federais em educação estão em greve há mais de 115 dias. Na UFRJ, o início da paralisação se deu no dia 29 de maio, um dia após os companheiros da UFF iniciarem sua greve. Por volta das 6 horas da manhã de quarta-feira, dia 16, a Reitoria da Universidade Federal Fluminense (UFF) estava completamente tomada pelos grevistas que espalhavam por toda a entrada da unidade. Porém, apesar de a atividade ter sido de cunho completamente pacífico, os funcionários da unidade foram recebidos com as portas fechadas, em deliberação do reitor Sidney Mello.

Do lado de fora da universidade, na calçada, os funcionários fizeram um grande café da manhã, com direito a frutas e sanduíches de presunto com queijo e café fresco feito exatamente para a atividade. O ato unificado contou com a presença dos funcionários técnicos-administrativos e docentes da UFF, que ainda permanecem de mãos atadas, além de estudantes e representantes do Comando Local de Greve (CLG)/Sintufrj e da Assunirio.

Reitoria aciona Polícia Federal e agente agride servidora

Policial Federal (esquerda) agrediu a servidora Mariana Rezende (direita. Foto: Renan Silva

Policial Federal (esquerda) agrediu a servidora Mariana Rezende (direita. Foto: Renan Silva

Em uma ação completamente deliberada, um procurador da justiça locado na UFF apresentou uma liminar expedida pela justiça que pedia a liberação da calçada e das entradas do prédio da Reitoria. A Polícia Federal foi chamada e logo após sua chegada, um agente, sem identificação, agiu de forma truculenta e foi repudiado pelos trabalhadores que participavam do ato. Uma servidora foi agredida durante a ação. “Ele já veio mexendo nas minhas roupas que estavam na cadeira e saiu chutando tudo, arrebentando tudo e entrou na universidade, passando por cima de mim e por quem estava ali”, afirmou a servidora da UFF Mariana Rezende, funcionária há 11 anos.

Após anúncios de cortes para os SPFs, UFRJ anuncia radicalização da greve

Categoria aprova continuidade da greve. Foto: Renan Silva

Categoria aprova continuidade da greve. Foto: Renan Silva

Após mais de 110 de greve, os técnicos-administrativos em educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro aprovaram nesta terça-feira, 15, a continuidade da greve na instituição.
Com apenas um voto contrário e sete abstenções, a plenária lotada deliberou pela intensificação das atividades da greve em resposta aos últimos anúncios feitos pelo governo federal.

Nova assembleia na quinta-feira

Para avaliar os últimos ajustes propostos pelo governo, uma assembleia-ato será realizada nesta quinta-feira, 17, no salão da recepção da Reitoria. O novo encontro também deverá deliberar acerca da contraproposta do governo sobre o reajuste salarial da categoria.

Calendário semanal de atividades de greve

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Segunda-feira, 17/8

9h -reunião do CLG no Espaço Cultural do Sintufrj.

13h – assembleia geral no hall da Reitoria.

Terça-feira, 18/8

10h – ato unificado dos servidores públicos federais (SPFs), no  Centro do Rio.

Quarta-feira, 19/8

10h – reunião do Comando Estadual de Greve no Sindipetro.

14h – debate do Fórum (Im) Permanente de greve na Casa da Ciência. O tema do debate é “Horizontalidades, transversalidades: inventando novas geografias no ambiente de trabalho”.

Debatedores: Monica Atalla, pedagoga da Casa da Ciência; Gustavo Cravo e Rita Cavaliere, técnicos em assuntos educacionais da PR4; Evandro Ouriques, professor da Escola de Comunicação; Gabryel Henrici, representante do DCE da UFRJ;  Terezinha Costa, representante a Associação dos Trabalhadores Terceirizados da UFRJ.

24 e 25/8, em Brasília

Reunião da representação da Comissão Nacional de Supervisão da Carreira (CNSC).

Quarta-feira, 26/8

Reunião da CNSC no MEC, em Brasília.

Calendário semanal de atividades de greve

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Quarta-feira, 29/7

8h – panfletagem e doação de sangue no HUCFF.

10h – ato no CEG.

10h – reunião do CLG/Sintufrj com os trabalhadores do HUCFF, no auditório 3E54 (3º andar).

14h – Fórum (im) permanente na Casa da Ciência (Rua Lauro Müller 3, Botafogo) o  (composto pelos trabalhadores da unidade) realizam debate “Assédio moral, violência e cotidiano institucional”.

Debatedores: pró-reitora de Pessoal, Regina Dantas; técnica-administrativa e membro da Comissão Especial para Conflitos nas Relações de Trabalho e Análise Prática de Assédio Moral na UFRJ, Luciene Lacerda; e a professora do Programa Interinstitucional de Pós-Graduação em Bioética, Ética aplicada e Saúde Coletiva, Marisa Palácios.

Quinta-feira, 30/7

10h – reunião do CLG/Sintufrj com a PR-4 sobre a pauta interna de reivindicações da categoria.

Sexta-feira, 31/7

10h – reunião dos Comandos Locais de Greve na UFRJ, na Adufrj.

Segunda-feira, 3/8

Assembleia no CT para eleição de delegados ao 15º Cecut e ao 11º Concut.

Calendário Fixo: 

– Às segundas-feiras, às 9h, reunião do CLG, e à tarde, das comissões do CLG.   Sempre no Espaço Cultural e na sede do Sintufrj.

– Às terças-feiras, às 10h, assembleias no auditório do CT.

– Às quintas-feiras, assembleias itinerantes com realização de atos.


Integram o Comando Nacional de Greve (CNG) os seguintes companheiros: Gercino, Antonio Theodoro da Silva Filho, José de Oliveira, Ruy Reis Santana Vaz, Gilvan Joaquim da Silva, Marcílio Alves e João Paulo Gibson Nunes.

Debate sobre o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha reúne ativistas e gera discussões sobre o tema

Mesa de debates. Foto: Daniel Outlander

Mesa de debates. Foto: Daniel Outlander

Muito se fala na atual conjuntura da sociedade sobre o papel do negro e sua inserção e busca de igualdade em diversos segmentos – sociais, profissionais e educacionais – mas a verdade é que a discriminação com afrobrasileiros ainda é latente. As mulheres, por sua vez, sofrem duplamente: primeiro por serem mulheres, depois por serem negras. Para comemorar o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha e motivar a luta para o compate ao racismo, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFRJ realizou na sexta-feira, dia 24, um debate sobre o papel da mulher negra no mercado de trabalho.

Negra, professora universitária e doutora, a enfermeira da UFRJ Luzia de Araújo fez um profundo questionamento sobre a história da mulher negra e sua relação nos âmbitos da sociedade e do trabalho. “O homem branco ganha mais, já a mulher negra vem em último lugar na escala”, comentou a palestrante. Ela evidenciou ainda que por ser negra, viu muitas dificuldades e diferenças ao ingressar em uma universidade. “Eu sempre estudei em escolas públicas, mas quando você entra na universidade é que você vê a disparidade social. Eu era sozinha”, finalizou.

Para a militante do Coletivo Negro e do Movimento de Mulheres Olga Benário Eloá Santos, a realidade não foi diferente. Negra, se viu em um mundo completamente dominado por um sistema racista e machista. “Imagina, eu fui cursar economia na UERJ, um dos cursos mais machistas e sexistas que existem. Disseram que eu não tinha o biotipo de economista”, enunciou.

Sindicalizada arruma turbante. Foto: Daniel Outlander

Sindicalizada arruma turbante. Foto: Daniel Outlander

Evento

A comemoração contou, além das palestras, com diversas atividades voltadas ao público presente. Logo que chegavam ao Espaço Cultural do Sintufrj, todos os convidados se dirigiam à tenda de turbantes, onde uma turbanteira aplicava lenços de diversas cores e ensinava a dar vários tipos de nós.

A fila ficou cheia em outra tenda onde uma esteticista fazia limpeza de pele, de graça, em quem estivesse disposto a encarar o calor com a pele mais saudável.  Um café da manhã também foi servido, e para garantir aos presentes uma experiência completa, as atividades recomeçaram após o almoço.

História

As mulheres negras da diáspora africana celebram 25 de julho, Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha, como símbolo de união e de reconhecimento mundial de suas vidas guerreiras, combativas e imprescindíveis à construção de um mundo solidário, multiétnico e pluricultural. Estas mulheres negras têm, em comum, vidas marcadas pela opressão de gênero, agravadas pelo racismo e pela exploração de classe social.

A escolha da data ocorreu no I Encontro das Mulheres Negras da América Latina e do Caribe, que aconteceu na República Dominicana, em 1992. Mais de setenta mulheres negras de diversos países estiveram presentes no evento, com o objetivo de dar visibilidade à sua presença nestes continentes. Na ocasião, foi criada a Rede de Mulheres Negras da América Latina e do Caribe, para a troca de informações, o estreitamento das relações e promoção de ações em conjunto.

Calendário semanal de atividades de greve

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Segunda-feira, 20/7

10h – Reunião do Comando Local de Greve (CLG)/Sintufrj, no Espaço Cultural do Sindicato.

17h – Reunião do CLG/Sintufrj sobre a pauta interna de reivindicações com o reitor Roberto Leher.

Em Brasília, às 16h, os SPFs se reúnem com o MPOG.

Terça-feira, 21/7

10h – Assembleia geral no auditório do CT.

Reunião prevista entre a Fasubra, MEC e o MPOG.

Quarta-feira, 22/7

8h – Panfletagem e doação de sangue no HUCFF. Atividade organizada pelo CLG/Sintufrj.

10h – Reunião do CLG/Sintufrj com os trabalhadores do IPPMG, no salão nobre; e, no mesmo horário, reunião do CLG/Sintufrj com os trabalhadores do Instituto de Ginecologia (Rua Moncorvo Filho, 90, Centro da cidade).

Quinta-feira, 23/7

5h – O CLG/Sintufrj vai ocupar o campus da Praia Vermelha.

9h – a terceirização na universidade será tema do debate que antecipará a panfletagem na Rua Venceslau Brás.

13h – no campus da Praia Vermelha: debate sobre terceirização na universidade e, em seguida, ato organizado pelos Comandos Locais de Greve da UFRJ.

Sexta-feira, 24/7

9h, – abertura (com café da manhã) das atividades pelo Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha; das 10h às 13h, debate “A mulher negra no mercado de trabalho”; das 14h às 17h, oficinas; e das 17h às 21h, baile Black. Local: Espaço Cultural do Sintufrj.

Calendário Fixo: 

– Às segundas-feiras, às 9h, reunião do CLG, e à tarde, das comissões do CLG.   Sempre no Espaço Cultural e na sede do Sintufrj.

– Às terças-feiras, às 10h, assembleias no auditório do CT.

– Às quintas-feiras, assembleias itinerantes com realização de atos.


Integram o Comando Nacional de Greve (CNG) os seguintes companheiros: Gercino, Antonio Theodoro da Silva Filho, José de Oliveira, Ruy Reis Santana Vaz, Gilvan Joaquim da Silva, Marcílio Alves e João Paulo Gibson Nunes.