SPFs fecham Reitoria da UFF e servidora é agredida pela Polícia Federal

Polícia Federal é chamada por Reitor da UFF. Foto: Renan Silva

Polícia Federal é chamada por Reitor da UFF. Foto: Renan Silva

Os servidores públicos federais em educação estão em greve há mais de 115 dias. Na UFRJ, o início da paralisação se deu no dia 29 de maio, um dia após os companheiros da UFF iniciarem sua greve. Por volta das 6 horas da manhã de quarta-feira, dia 16, a Reitoria da Universidade Federal Fluminense (UFF) estava completamente tomada pelos grevistas que espalhavam por toda a entrada da unidade. Porém, apesar de a atividade ter sido de cunho completamente pacífico, os funcionários da unidade foram recebidos com as portas fechadas, em deliberação do reitor Sidney Mello.

Do lado de fora da universidade, na calçada, os funcionários fizeram um grande café da manhã, com direito a frutas e sanduíches de presunto com queijo e café fresco feito exatamente para a atividade. O ato unificado contou com a presença dos funcionários técnicos-administrativos e docentes da UFF, que ainda permanecem de mãos atadas, além de estudantes e representantes do Comando Local de Greve (CLG)/Sintufrj e da Assunirio.

Reitoria aciona Polícia Federal e agente agride servidora

Policial Federal (esquerda) agrediu a servidora Mariana Rezende (direita. Foto: Renan Silva

Policial Federal (esquerda) agrediu a servidora Mariana Rezende (direita. Foto: Renan Silva

Em uma ação completamente deliberada, um procurador da justiça locado na UFF apresentou uma liminar expedida pela justiça que pedia a liberação da calçada e das entradas do prédio da Reitoria. A Polícia Federal foi chamada e logo após sua chegada, um agente, sem identificação, agiu de forma truculenta e foi repudiado pelos trabalhadores que participavam do ato. Uma servidora foi agredida durante a ação. “Ele já veio mexendo nas minhas roupas que estavam na cadeira e saiu chutando tudo, arrebentando tudo e entrou na universidade, passando por cima de mim e por quem estava ali”, afirmou a servidora da UFF Mariana Rezende, funcionária há 11 anos.

Anúncios

Calendário semanal de atividades da greve

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Quarta-feira, 16/9

7h – Ato conjunto das universidades federais em greve no Rio de Janeiro, na Reitoria da UFF (Rua Miguel de Frias/Icaraí/Niterói).

Quinta-feira, 17/9

9h – Assembleia-ato no segundo andar da Reitoria, com ida ao Conselho Universitário (Consuni) reivindicar proposta de termo de acordo sobre a pauta interna e agenda de reuniões com a Reitoria sobre o tema.

Quarta-feira e quinta-feira, 16 e 17/9

Reuniões setoriais e de mobilização para a assembleia de avaliação da resposta do governo no dia 21 (a agenda será organizada pela Comissão de Mobilização do CLG).

Sexta-feira, 18/9

10h – Reunião do CLG/Sintufrj.

Segunda-feira, 21/9

Assembleia geral (em local a ser definido).

Terça-feira, 22/9

Das 10h às 12h, no auditório Hélio Fraga, no CCS – Debate sobre a dívida pública com a presença de Maria Lucia Fattorelli, auditora aposentada da Receita Federal e fundadora do movimento Auditoria Cidadã da Dívida.

Após anúncios de cortes para os SPFs, UFRJ anuncia radicalização da greve

Categoria aprova continuidade da greve. Foto: Renan Silva

Categoria aprova continuidade da greve. Foto: Renan Silva

Após mais de 110 de greve, os técnicos-administrativos em educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro aprovaram nesta terça-feira, 15, a continuidade da greve na instituição.
Com apenas um voto contrário e sete abstenções, a plenária lotada deliberou pela intensificação das atividades da greve em resposta aos últimos anúncios feitos pelo governo federal.

Nova assembleia na quinta-feira

Para avaliar os últimos ajustes propostos pelo governo, uma assembleia-ato será realizada nesta quinta-feira, 17, no salão da recepção da Reitoria. O novo encontro também deverá deliberar acerca da contraproposta do governo sobre o reajuste salarial da categoria.

Calendário semanal de atividades de greve

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Segunda-feira, 17/8

9h -reunião do CLG no Espaço Cultural do Sintufrj.

13h – assembleia geral no hall da Reitoria.

Terça-feira, 18/8

10h – ato unificado dos servidores públicos federais (SPFs), no  Centro do Rio.

Quarta-feira, 19/8

10h – reunião do Comando Estadual de Greve no Sindipetro.

14h – debate do Fórum (Im) Permanente de greve na Casa da Ciência. O tema do debate é “Horizontalidades, transversalidades: inventando novas geografias no ambiente de trabalho”.

Debatedores: Monica Atalla, pedagoga da Casa da Ciência; Gustavo Cravo e Rita Cavaliere, técnicos em assuntos educacionais da PR4; Evandro Ouriques, professor da Escola de Comunicação; Gabryel Henrici, representante do DCE da UFRJ;  Terezinha Costa, representante a Associação dos Trabalhadores Terceirizados da UFRJ.

24 e 25/8, em Brasília

Reunião da representação da Comissão Nacional de Supervisão da Carreira (CNSC).

Quarta-feira, 26/8

Reunião da CNSC no MEC, em Brasília.

Calendário semanal de atividades de greve

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Segunda-feira, 20/7

10h – Reunião do Comando Local de Greve (CLG)/Sintufrj, no Espaço Cultural do Sindicato.

17h – Reunião do CLG/Sintufrj sobre a pauta interna de reivindicações com o reitor Roberto Leher.

Em Brasília, às 16h, os SPFs se reúnem com o MPOG.

Terça-feira, 21/7

10h – Assembleia geral no auditório do CT.

Reunião prevista entre a Fasubra, MEC e o MPOG.

Quarta-feira, 22/7

8h – Panfletagem e doação de sangue no HUCFF. Atividade organizada pelo CLG/Sintufrj.

10h – Reunião do CLG/Sintufrj com os trabalhadores do IPPMG, no salão nobre; e, no mesmo horário, reunião do CLG/Sintufrj com os trabalhadores do Instituto de Ginecologia (Rua Moncorvo Filho, 90, Centro da cidade).

Quinta-feira, 23/7

5h – O CLG/Sintufrj vai ocupar o campus da Praia Vermelha.

9h – a terceirização na universidade será tema do debate que antecipará a panfletagem na Rua Venceslau Brás.

13h – no campus da Praia Vermelha: debate sobre terceirização na universidade e, em seguida, ato organizado pelos Comandos Locais de Greve da UFRJ.

Sexta-feira, 24/7

9h, – abertura (com café da manhã) das atividades pelo Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha; das 10h às 13h, debate “A mulher negra no mercado de trabalho”; das 14h às 17h, oficinas; e das 17h às 21h, baile Black. Local: Espaço Cultural do Sintufrj.

Calendário Fixo: 

– Às segundas-feiras, às 9h, reunião do CLG, e à tarde, das comissões do CLG.   Sempre no Espaço Cultural e na sede do Sintufrj.

– Às terças-feiras, às 10h, assembleias no auditório do CT.

– Às quintas-feiras, assembleias itinerantes com realização de atos.


Integram o Comando Nacional de Greve (CNG) os seguintes companheiros: Gercino, Antonio Theodoro da Silva Filho, José de Oliveira, Ruy Reis Santana Vaz, Gilvan Joaquim da Silva, Marcílio Alves e João Paulo Gibson Nunes.

CLG/Sintufrj organiza doação de sangue no HU

Servidores na fila para a doação de sangue. Foto: Renan Silva

Servidores na fila para a doação de sangue. Foto: Renan Silva

“Dilma, valorize quem dá o sangue pela Educação.” Esse foi o mote do ato que se repetiu em universidades de todo país nesta quinta-feira, dia 15 de julho, Dia Nacional de Doação de Sangue convocado pela Fasubra.

Na UFRJ, o grupo de voluntários organizado pelo Comando Local de Greve do Sintufrj começou a se reunir desde as 8h em frente á portaria principal do Hospital Universitário e seguiu junto até o terceiro andar do prédio para a doação no Banco de Sangue do hospital.

Participaram da doação os coordenadores Francisco de Assis e Rafael Coletto e os militantes Eliezer Pereira (Instituto de Microbiologia), Genivaldo Santos (Horto), Carlos Pereira (ETU), Ivanez Pobel Júnior (Prefeitura), Joanna de Angelis (Instituto de Bioquímica Médica), Felipe Teles (Faculdade de Letras), Rafael da Silva Santos (CCMN).

Segundo integrantes do CLG/Sintufrj o incentivo à doação de sangue como atividade de mobilização da categoria deverá se repetir na próxima quarta-feira, dia 22.

Sintufrj vai à Brasília e ato reúne caravaneiros de todo o país

Caraveiros do Sintufrj durante ato em Brasília. Foto: Renan Silva

Caraveiros do Sintufrj durante ato em Brasília. Foto: Renan Silva

Universidades federais de todo o país estão em maus lençóis. Após o corte de mais de R$ 9 bilhões da educação, a situação da permanência de atividades das Universidades Federais brasileiras é caótica. Com finalidade de pleitear uma melhoria na situação, cerca de 150 representantes do Sintufrj foram à Brasília para participar de uma grande passeata que reuniu lideranças sindicais de todo Brasil. Sob organização da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (FASUBRA). Ao todo, cerca de 3 mil pessoas participaram das atividades.

Procurando lutar pelo direito de uma educação superior pública e de qualidade, além de reajustes salariais, os caravaneiros do Sintufrj se uniram à companheiros de outros sindicatos em uma marcha, na última terça-feira, 7, que partiu da Esplanada dos Ministérios e seguiu até à frente do Ministério da Educação.

Classes Integradas

Alunos e professores se uniram aos técnicos-administrativos e também participaram de todas as atividades propostas pela organização. Na UFRJ, os servidores entraram em greve no dia 29 de maio.

Reunião do Fórum dos Servidores Públicos Federais

Após a passeata até o Ministério da Educação (MEC), as lideranças do movimento se reuniram com o secretário de Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão (MPOG), Sérgio Mendonça, para expor suas reivindicações e abrir negociação com o governo. Os servidores públicos federais não aceitam o reajuste de 21,03%, proposto pelo governo. Um novo encontro será marcado até o próximo dia 21.

Clique e veja a Galeria de Fotos dos caravaneiros do Sintufrj em Brasília

Anúncio de não realização de matrículas do Sisu na UFRJ é destaque na imprensa

Greve

Na última segunda-feira, 15, o Comando Local de Greve (CLG/Sintufrj) aprovou em assembleia a não realização das matrículas dos aprovados para o segundo semestre utilizando como base o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), sob orientação do Comando Geral de Greve (CGG/Fasubra).  A atividade visa forçar uma conversa entre o Governo e os comandos de greve. Nesta quarta-feira, a ameaça foi destaque em diversos veículos da imprensa em todo o país. Veja as matérias:

Portal G1
Portal SRZD
Portal R7
EBC
Exame.com
O Dia online
O Dia online 
Diário do Grande ABC
Diário de Pernambuco
O Tempo
Estado de Minas
Terra
Rádioagência Nacional
Estadão
Yahoo
Repórter Diário
Último Instante
Jornal de Brasília
Folha Vitória
Jornal A Cidade – Ribeirão Preto
Bem Paraná
Portal Vox
Vermelho.org
Jornal de Brasília
A Tarde
Paraná Online
Jornal da Manhã
O Diário

Manifestação no HU mobiliza servidores e a população

Ato Nacional em Defesa dos HUs. Foto: Renan Silva

Ato Nacional em Defesa dos HUs. Foto: Renan Silva

O ato pelo Dia Nacional em Defesa dos hospitais universitários (HUs) indicado pelo Comando Nacional de Greve (CNG)/Fasubra para quarta-feira, dia 17, foi realizado pelo CLG/Sintufrj às 10h, em frente ao Hospital Universitário Clementino Fraga Filho HUCFF).

Foram distribuídos panfletos e adesivos para informar aos usuários do hospital e seus familiares, servidores e estudantes da área de saúde a situação de precarização em que se encontram os hospitais universitários, na UFRJ, e também alertar sobre a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), criada pelo governo para gerir os HUs.

Esse dia de luta também teve o objetivo de reafirmar a importância dos HUs para o país como um local estratégico de formação de profissionais, produção de conhecimento e assistência à população no atendimento de doenças de alta complexidade.