CLG/Sintufrj aprova realização das matrículas do Sisu

Sisu. Foto: Reprodução

Sisu. Foto: Reprodução

Por decisão da assembleia da categoria realizada no dia 23/9, o Comando Local de Greve (CLG)/Sintufrj se reuniu na quinta-feira, dia 24/9, no Espaço Cultural do Sindicato, e deliberou pela realização das matrículas presenciais dos estudantes aprovados pelo Sisu para a UFRJ.

Essa decisão do CLG/Fasubra foi motivada por dois motivos:

1- Trabalhadores de 40 instituições da base da Fasubra já aprovaram a assinatura do acordo proposto pelo governo;

2- Somente três universidades (entre elas a UFRJ) continuavam segurando a realização das matrículas presenciais do Sisu, o que ocorria por responsabilidade absoluta do governo que se mantém firme na sua política de desprezo para com a Educação pública.

Porém, nós, técnicos-administrativos em educação da UFRJ não vamos nos comportar da mesma forma arrogante e descompromissada do governo para com a população e a instituição, que defendemos intransigentemente. Sendo assim, deliberamos pela realização das matrículas do Sisu dentro do prazo determinado pelo MEC, como uma atividade de greve.

O CLG/Sintufrj receberá os calouros da UFRJ com uma grande panfletagem para informar aos jovens os motivos que levaram os técnicos-administrativos em educação a deflagrarem greve por mais de três meses e a suspender as matrículas do Sisu por tanto tempo. É justo que nossos futuros alunos saibam da nossa luta em defesa da instituição. Não podemos permitir que o governo reduza drasticamente as verbas para o ensino, a pesquisa e a extensão, impondo aos que sonharam e se esforçaram para entrar numa universidade federal uma formação superior medíocre.

Anúncios

CLG/Sintufrj realiza oficina sobre turnos contínuos

Oficina de Carreira. Foto: Renan SIlva

Oficina de Carreira. Foto: Renan SIlva

O Comando Local de Greve (CLG/Sintufrj) realizou, na manhã do dia 24, no Espaço Cultural do Sintufrj, uma oficina sobre a proposta da implantação dos turnos contínuos na universidade, importante item da pauta interna de reivindicações da categoria.

A oficina buscou atualizar os servidores com informações recentes sobre o tema e qualificar os membros do CLG para atuarem na comissão constituída em reunião realizada com a Reitoria, no dia 21, que iniciou a discussão sobre as reivindicações da pauta local.
A primeira reunião da comissão que tratará da reivindicação dos turnos contínuos está prevista para o início de outubro.

Categoria aprova acordo proposto pelo governo e aguarda orientação do CNG/Fasubra para saída unificada da greve

Assembleia-geral. Foto: Renan Silva

Assembleia-geral. Foto: Renan Silva

Próxima assembleia terça-feira, dia 29 de setembro, em local a ser definido.

Com a presença de centenas de técnicos-administrativos em educação no hall da Reitoria, a assembleia quarta-feira, dia 23, deliberou pela continuidade da greve até que o Comando Nacional de Greve (CNG)/Fasubra indique uma data para a saída unificada do movimento.

A greve da categoria na UFRJ foi deflagrada em 29 de maio, mas na maioria das instituições federais de ensino superior do país o movimento grevista começou no dia 28 de maio. Até agora os técnicos-administrativos em educação de todas as universidades e parte dos institutos da base da Fasubra estão parados.

Acordo

Depois de mais de quatro horas de discussão, os técnicos-administrativos em educação da UFRJ deliberaram na assembleia por aceitar a proposta de acordo do governo, que prevê reajuste de 10,8% divididos em dois anos: 5,5% em agosto de 2016 e 5% em 2017; elevação do step para 0,1% em 2017; reajustes dos benefícios em janeiro de 2016 – 22% para o auxílio-alimentação e auxílio-saúde e 300% para o auxílio pré-escolar –, além de alguns avanços na pauta específica da Fasubra.

De acordo com a decisão das assembleias de base, a Fasubra poderá assinar o acordo com o governo quarta-feira, dia 24.

Matrículas do Sisu

A assembleia também aprovou que, se o CNG/Fasubra assinar o acordo com o governo na quinta-feira, dia 24, o Comando Local de Greve/Sintufrj autorizará a Reitoria a realizar a matrícula presencial do Sisu. Caso contrário, o ponto será discutido na assembleia terça-feira, dia 29.

COMUNICADO:

image

Sensíveis à questão dos estudantes aprovados pelo Sisu, a assembleia-geral dos servidores técnicos-administrativos em educação da UFRJ deliberou que, de acordo com as negociações entre categoria e o governo, que irá acontecer nesta quinta-feira, 24, que se for assinado, será autorizada a matrícula presencial dos aprovados pelo Sisu. Caso não haja assinatura do mesmo, o ponto será rediscutido na próxima assembleia.

SPFs fecham Reitoria da UFF e servidora é agredida pela Polícia Federal

Polícia Federal é chamada por Reitor da UFF. Foto: Renan Silva

Polícia Federal é chamada por Reitor da UFF. Foto: Renan Silva

Os servidores públicos federais em educação estão em greve há mais de 115 dias. Na UFRJ, o início da paralisação se deu no dia 29 de maio, um dia após os companheiros da UFF iniciarem sua greve. Por volta das 6 horas da manhã de quarta-feira, dia 16, a Reitoria da Universidade Federal Fluminense (UFF) estava completamente tomada pelos grevistas que espalhavam por toda a entrada da unidade. Porém, apesar de a atividade ter sido de cunho completamente pacífico, os funcionários da unidade foram recebidos com as portas fechadas, em deliberação do reitor Sidney Mello.

Do lado de fora da universidade, na calçada, os funcionários fizeram um grande café da manhã, com direito a frutas e sanduíches de presunto com queijo e café fresco feito exatamente para a atividade. O ato unificado contou com a presença dos funcionários técnicos-administrativos e docentes da UFF, que ainda permanecem de mãos atadas, além de estudantes e representantes do Comando Local de Greve (CLG)/Sintufrj e da Assunirio.

Reitoria aciona Polícia Federal e agente agride servidora

Policial Federal (esquerda) agrediu a servidora Mariana Rezende (direita. Foto: Renan Silva

Policial Federal (esquerda) agrediu a servidora Mariana Rezende (direita. Foto: Renan Silva

Em uma ação completamente deliberada, um procurador da justiça locado na UFF apresentou uma liminar expedida pela justiça que pedia a liberação da calçada e das entradas do prédio da Reitoria. A Polícia Federal foi chamada e logo após sua chegada, um agente, sem identificação, agiu de forma truculenta e foi repudiado pelos trabalhadores que participavam do ato. Uma servidora foi agredida durante a ação. “Ele já veio mexendo nas minhas roupas que estavam na cadeira e saiu chutando tudo, arrebentando tudo e entrou na universidade, passando por cima de mim e por quem estava ali”, afirmou a servidora da UFF Mariana Rezende, funcionária há 11 anos.

Calendário semanal de atividades da greve

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Ilustração de calendário. Foto: Reprodução

Quarta-feira, 16/9

7h – Ato conjunto das universidades federais em greve no Rio de Janeiro, na Reitoria da UFF (Rua Miguel de Frias/Icaraí/Niterói).

Quinta-feira, 17/9

9h – Assembleia-ato no segundo andar da Reitoria, com ida ao Conselho Universitário (Consuni) reivindicar proposta de termo de acordo sobre a pauta interna e agenda de reuniões com a Reitoria sobre o tema.

Quarta-feira e quinta-feira, 16 e 17/9

Reuniões setoriais e de mobilização para a assembleia de avaliação da resposta do governo no dia 21 (a agenda será organizada pela Comissão de Mobilização do CLG).

Sexta-feira, 18/9

10h – Reunião do CLG/Sintufrj.

Segunda-feira, 21/9

Assembleia geral (em local a ser definido).

Terça-feira, 22/9

Das 10h às 12h, no auditório Hélio Fraga, no CCS – Debate sobre a dívida pública com a presença de Maria Lucia Fattorelli, auditora aposentada da Receita Federal e fundadora do movimento Auditoria Cidadã da Dívida.

Após anúncios de cortes para os SPFs, UFRJ anuncia radicalização da greve

Categoria aprova continuidade da greve. Foto: Renan Silva

Categoria aprova continuidade da greve. Foto: Renan Silva

Após mais de 110 de greve, os técnicos-administrativos em educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro aprovaram nesta terça-feira, 15, a continuidade da greve na instituição.
Com apenas um voto contrário e sete abstenções, a plenária lotada deliberou pela intensificação das atividades da greve em resposta aos últimos anúncios feitos pelo governo federal.

Nova assembleia na quinta-feira

Para avaliar os últimos ajustes propostos pelo governo, uma assembleia-ato será realizada nesta quinta-feira, 17, no salão da recepção da Reitoria. O novo encontro também deverá deliberar acerca da contraproposta do governo sobre o reajuste salarial da categoria.

Servidores públicos federais param a Urca em manifestação à favor da educação

Servidores fazem ato na Urca. Foto: Renan SIlva

Servidores fazem ato na Urca. Foto: Renan SIlva

A realidade nas universidades federais não é a das melhores. A preocupação com as instituições é grande, já que após o corte de mais de R$ 8 bilhões da educação impacta diretamente a gestão e o cotidiano dessas entidades. Com um objetivo de tentar mobilizar a população a entender a atual situação das universidades, servidores públicos federais em educação se uniram nesta quinta-feira, 10, na Reitoria da Unirio, na Urca, em um grande ato.

Cerca de 100 funcionários da UFRJ, Unirio, UFF e UFRRJ saíram em marcha por volta das 10h. Carregando faixas e bandeiras, eles entoaram palavras de ordem e promoveram um barulhaço, que contou com a adesão de diversos representantes da sociedade, que registravam fotografias sobre o ato.

Transito parou

Por cerca de uma hora, a pista sentido Urca da Avenida Pasteur, a principal do bairro, ficou completamente fechada, gerando impactos significativos no trânsito e dando um nó na Zona Sul. Para tentar amenizar os impactos, a Guarda Municipal instalou uma faixa reversível na Avenida Pasteur para tentar controlar o trânsito, mesmo assim houve engarrafamento na Avenida Venceslau Brás, nas imediações do IPUB, até o bairro de Copacabana.

Veja o vídeo do ato dos SPFs na Unirio.

CEG aprova calendário acadêmico sem consultar técnicos em greve

Conselho de Ensino de Graduação (CEG). Foto: Renan Silva

Conselho de Ensino de Graduação (CEG). Foto: Renan Silva

O Conselho de Ensino de Graduação (CEG) aprovou, no dia 9, o calendário acadêmico indicado na sessão da semana anterior que prevê a reposição das aulas do primeiro semestre de 2015 entre os dias 14 de setembro e 17 de outubro, e o início das aulas do segundo semestre no dia 26 de outubro.

A decisão foi tomada um dia após a assembleia dos estudantes deliberar pelo fim da greve discente. Mas os técnicos-administrativos em educação que continuam em greve não foram consultados pelo colegiado.

 “Ontem (terça-feira, dia 8) a nossa assembleia aprovou a continuidade da greve porque o governo apresentou uma proposta rebaixada. Vamos apresentar uma contraproposta e teremos nova assembleia no dia 15, para definir uma posição de acordo com a mesa de negociação. Se o governo não atender a nossa pauta continuaremos em greve. Então, como recomeçar as atividades acadêmicas com os técnicos-administrativos ainda em greve? Acho precipitado este colegiado tomar posição de recomeçar as aulas no dia 14”, afirmou o coordenador do Sintufrj, Paulo Marinho, que falou na sessão em nome do Comando Local de Greve da categoria.