Publicado por: SINTUFRJ | 15/04/2014

Assembleia-Ato no IPPMG – 15/04

Na última terça-feira, apesar do dia frio e chuvoso, os servidores em greve da UFRJ realizaram mais um ato com o objetivo de dar visibilidade ao movimento e pressionar o governo para negociar. Uma breve assembleia foi realizada na entrada do Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira (IPPMG), em seguida os trabalhadores seguiram até uma das entradas da Ilha do Fundão, fechando-a. Depois de cerca de uma hora de paralisação, seguiram em passeata ao redor do IPPMG e do Hospital Universitário.

“SE A NEGOCIAÇÃO FOR LENTA, O TRÂNSITO TAMBÉM SERÁ!”

 

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

Publicado por: SINTUFRJ | 15/04/2014

Ato no Museu Nacional – 13/04

Imagem

 

Numa atividade alegre, os servidores em greve da UFRJ distribuíram balões e doces para as crianças na Quinta da Boa Vista. Para os adultos foram entregues cerca de três mil panfletos informativos sobre a greve e as reivindicações dos grevistas. Confira fotos:

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

 

 

Imagem

 

Imagem

 

Imagem

Publicado por: SINTUFRJ | 14/04/2014

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO

No país do futebol, da corrupção e da desigualdade social, que lugar está reservado para Cultura,  Saúde e Educação  públicas?

Nós, servidores Técnico-Administrativos das Universidades Federais, recebemos os mais baixos salários de todo o poder executivo. Somos os trabalhadores que realizam as funções administrativas nas coordenações de curso, bibliotecas, departamentos, pró-reitorias, execuções orçamentárias e outras tarefas que mantém a Universidade viva. Somos os profissionais da saúde nos Hospitais Universitários, desempenhando funções essenciais para o bom andamento das atividades de pesquisa, assistência e ensino. Somos a Universidade funcionando.

No Brasil, quem trabalha com educação e saúde não é tratado com respeito. O Governo Federal não abandonou a cartilha neoliberal, e após 11 anos do atual governo os serviços públicos vão de mal a pior. Há uma crise grave na maior parte das áreas sociais e um caos completo na saúde, na educação e nos transportes públicos. Junto com os desgovernos Estaduais e Municipais criaram-se as causas da explosão de revolta que varreu o país em junho de 2013. Infelizmente, até agora, os governos não deram ouvidos para o que o povo dizia nas ruas, e o suplício de quem depende dos serviços públicos continua.

Temos uma das maiores cargas tributárias do mundo. Todos os anos batemos recordes de arrecadação de impostos. Por acaso esse dinheiro retorna para a sociedade na forma de investimentos em infraestrutura, geração de empregos, educação, saúde, previdência social? Não estamos pedindo nada de mais. Queremos apenas o mesmo tratamento prioritário e emergencial dado pelo governo à FIFA, às empreiteiras, aos bancos e às multinacionais: exigimos investimentos pesados e imediatos nos serviços públicos!

Assim como todo serviço público, o Museu Nacional, a mais antiga instituição científica do Brasil e o maior museu de história natural e antropológica da América Latina, passa por um processo de abandono, terceirização e sucateamento, fruto da falta de investimento do governo federal.

Defendemos o acesso gratuito da população ao Museu Nacional, pois entendemos que é dever do Estado garantir o acesso  a cultura  a população.

Em defesa da Universidade Publica!

Contra a mercantilização da Cultura!

Por  um Museu  Nacional Gratuito a população !
Carreira, salários e condições de trabalho dignas!

Comando Local de Greve – Sintufrj

Publicado por: SINTUFRJ | 12/04/2014

Negociação

Negociação

Arte: Diego Novaes

Publicado por: SINTUFRJ | 02/04/2014

GREVE

radicalizar

Atenção, companheiros: nossa luta chegou num momento crucial, portanto, é hora de apertar o cerco ao governo radicalizando o movimento dos técnicos-administrativos em educação das Ifes. Neste primeiro momento a decisão é pela realização de atos que chamem a atenção da população.

Não esqueçam, companheiros: estamos em greve reivindicando direitos legítimos, pois os trabalhadores da educação e da saúde são os mais mal pagos pelo governo federal. Ou seja: ganhamos mal e recebemos tíquete-refeição no valor muito inferior ao concedido aos servidores públicos, por exemplo, do Legislativo e do Judiciário.

Então, todos à assembleia-ato no IFCS
(Largo de são Francisco), terça-feira, dia 29, às 13h, no salão nobre.

Às 16h, junto com os técnicos-administrativos da UFF,
UniRio e da Universidade Rural,
sairemos em passeata da Candelária à Cinelândia.

Juntos, vamos pôr o bloco na rua e chamar a atenção de Brasília. Afinal, não estamos em greve de brincadeira.

 Confira o calendário completo aprovado na reunião do Comando Estadual de Greve (CEG/RJ):

Dia 25/4, sexta-feira

Às 10h – Reunião das comissões do CLG/Sintufrj, na subsede no HUCFF.

Às 16h – Reunião do CEG/RJ, no IFCS.

Dia 5/5, segunda-feira

Saída da caravana a Brasília e em seguida, reunião do CLG/Sintufrj, na subsede no HUCFF.

Dias 6 e 7/5

Caravaneiros da base da Fasubra realizam em Brasília acampamento e participam de ato conjunto dos SPFs.

Reunião do CLG, dia 16

reuniaoCLG

Reunião do Comando Estadual de Greve, dia 16

estadualGreve

Condições desumanas de trabalho na UFRJ são denunciadas em debate sobre terceirização no IFCS

debateTerceirizado

O debate sobre terceirização promovido pela direção do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS), com a participação do Sintufrj, Adufrj e DCE Mário Prata, no dia 16 de abril, foi transformado em palco de denúncias e serviu como catalisador dos problemas enfrentados pelos trabalhadores terceirizados da UFRJ, como atraso de salários, descontos indevidos no contracheque, condições insalubres de trabalho e o não fornecimento de equipamentos adequados para o desenvolvimento de suas atividades.

A iniciativa foi considerada como sendo um passo importante para a luta contra a terceirização na universidade e a busca pela garantia dos direitos dos terceirizados. A proposta de uma comissão integrada por representantes das entidades sindicais e estudantil e representantes dos trabalhadores terceirizados, para organizar, propor, reivindicar e divulgar seminários, debates e formular propostas alternativas à terceirização e de melhoria das condições de trabalho dos atuais terceirizados foi aceita pelos presentes.

O Sintufrj, a Adufrj e o DCE Mário Prata se colocaram à disposição da luta dos trabalhadores terceirizados e anunciaram que a universidade não pode mais compactuar com aquele tipo de exploração de mão de obra. As entidades querem mudanças na forma de contratação das empresas de terceirização para garantir os direitos dos trabalhadores. O coordenador-geral do Sintufrj, Francisco de Assis, que representou o Comando Local de Greve do Sintufrj (CLG/Sintufrj) defendeu o fim da terceirização na UFRJ e a abertura de concurso para todas as áreas da universidade.

As posições das entidades foram ouvidas por vários trabalhadores da empresa New Quality Serviços Gerais, integrantes do CLG/Sintufrj e estudantes. O dirigente da Adufrj, Luciano Coutinho, e o integrante do DCE, Gabryel Henrici, criticaram de forma contundente a terceirização na universidade e a conivência da administração com a exploração dos terceirizados.

O organizador do evento, o diretor do IFCS Marco Aurélio Santana, afirmou que a discussão sobre terceirização deve permear a universidade como um todo, e como o IFCS que tem sido um centro de reflexão dos assuntos da contemporaneidade, não poderia ficar de fora.

Técnicos-administrativos e estudantes se solidarizaram com os terceirizados ratificando seus relatos de péssimas condições de trabalho as quais são submetidos cotidianamente na UFRJ.

Terceirizados em greve cobram salários atrasados

Em passeata pelas ruas do Fundão, dezenas de terceirizados da firma Qualitécnica – em greve desde o dia 5, e alguns desde o dia 14 – se dirigiram à Reitoria, na manhã desta quarta-feira, dia 16, para cobrar o pagamento dos salários atrasados. Coordenadores do Sintufrj e representantes do Diretório Central dos Estudantes apoiaram a manifestação.

Na Reitoria, ouviram do assessor da Pró-Reitoria de Gestão e Governança Harley de Moura que a UFRJ pagou à empresa no dia anterior a importância de R$ 1.786.601,98 e que este montante estaria liberado em 48 horas.

Eles pediram garantias de que de fato iriam receber. O assessor entrou em contato com a empresa que garantiu que os salários seriam, depositados até às 15h. Eles comemoraram mas garantiram que, se a promessa fosse descumprida, no dia seguinte, retornariam.

“Fecha tudo e vem para a rua”

atoHoje

Com esse mote, munidos de faixas, cartazes e muitos balões de gás com palavras de ordem, dezenas de técnicos-administrativos da UFRJ, em greve desde o dia 20, depois de breve assembleia nos pilotis do Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira (IPPMG), na manhã do dia 15, saíram em passeata até a Avenida Brigadeiro Trompowski, onde fecharam as pistas de entrada e saída do Fundão. O trânsito ficou bloqueado na via atrás do instituto por quase uma hora.

Chamado de “Dia F”, de “Fecha tudo”, o ato teve como objetivo chamar atenção da sociedade para o movimento dos téncicos-administrativos em educação das instituições federais de ensino e forçar o governo a abrir negociação da pauta de reivindicações da categoria.

“Hoje é dia de fechar tudo para que o governo abra negociações”, anunciavam as lideranças do movimento. Eles se dirigiram à população pedindo apoio para a luta em defesa da saúde e da educação públicas de qualidade, e explicavam que, apesar do inconveniente do engarrafamento provocado pelo ato, estavam fechando apenas um dos acessos ao Fundão.

Depois da reabertura do acesso, os manifestantes realizaram uma passeata em torno do IPPMG e do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF). “Se a negociação é lenta, a caminhada também é lenta”, explicavam no carro de som os manifestantes, que também convocavam os companheiros que se encontravam no Terminal de Integração, na Escola de Educação Infantil, na Faculdade de Odontologia, no CCS e nos hospitais universitários para participarem da manifestação. “Companheiros: venham para a rua. Essa luta é minha e sua”.

 Reivindicações

Entre as palavras de ordem que embalaram o ato e a passeata estavam a defesa da saúde e da educação pública de qualidade, contra a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), a implantação de ponto eletrônico no IPPMG, pela abertura de negociação, pelo cumprimento pleno do acordo de greve de 2012 e o atendimentos das reivindicações da pauta atual, como recomposição de perdas inflacionárias e contra a retirada de direitos dos trabalhadores, como a contagem de tempo insalubre para a aposentadoria.

Os manifestantes também protestaram contra a terceirização do serviço público e pelo pagamento dos trabalhadores terceirizados da UFRJ que estão sem receber salários.

O ato foi encerrado no acesso à entrada lateral do HUCFF com os manifestantes ratificando os motivos da greve, soltando os balões de gás e anunciando a realização de outro ato, desta vez com a participação da categoria da UFF, Universidade Rural e UniRio, provavelmente no dia 29 de abril. Os detalhes seriam acertados na reunião do Comando Estadual de Greve na quarta-feira, dia 16.

Atividade alto astral

bolas

Panfletagem à população sobre os motivos da greve dos técnicos-administrativos em educação das Ifes e distribuição de mais de 500 bolas de gás com dizeres em defesa da saúde pública e contra a Ebserh marcaram o mutirão realizado por cerca de 20 integrantes do Comando Local de Greve (CLG)/Sintufrj, no domingo, na entrada do Museu Nacional e nas alamedas da  Quinta da Boa Vista.

A atividade chamou a atenção dos visitantes das exposições e das famílias que naquele domingo foram à Quinta da Boa Vista se divertir com filhos, sobrinhos, parentes e amigos. Os menores faziam fila para receber uma bola colorida acompanhada por balas de caramelo. Cada carta aberta entregue a um adulto era acompanhada sempre de agradecimento pela atenção dispensada aos manifestantes.

Trabalhadores do Museu Nacional engrossaram o CLG/Sintufrj e fizeram a diferença na manifestação naquele dia ensolarado e de jogo decisivo no Maracanã. Das 10h30 às 13h30, foram distribuídos três mil panfletos.

Prefeitura não oferece solução e Sem Teto marcam ato amanhã às 8:00h

2014-04-13

Moradores removidos da favela da Telerj não aceitam cadastro e vão se mobilizar por moradia nesta segunda, às 8:00, em frente à Prefeitura. No momento, doações são fundamentais

do Boletim do MST-RJ

unnamed

Acampados em frente à prefeitura desde a última sexta-feira, quando foram violentamente removidos da favela da Telerj, Sem Teto estão sobrevivendo como podem: “O que temos hoje aqui são as doações. Nem o banheiro químico deixaram botar”, conta Perla, uma das lideranças da ocupação.

Perguntada sobre como foi a desocupação, Perla indaga: “O massacre? Foi horrível. Eles chegaram destruindo tudo, sem direito a dialogar, sem conversa, não deixaram a gente tirar as crianças, os pertences. Perdemos tudo. Um dia antes, eles prometeram que ia ter o Ministério Público, assistente social, direitos humanos, conselho tutelar, mas não teve nada disso. O choque já veio, com tiro porrada e bomba. Quebrou com retroescavadeira por trás, e cercaram pela frente.

Perla revelou a frieza dos policiais: “Até cantos eles tinham. Diziam: ‘Sai! Vai sair por bem ou por mal!’ Começamos a gritar: ‘queremos moradia’, eles batiam no escudo e diziam ‘Vai trabalhar, vai trabalhar’. E foram botando todo mundo pra fora, jogando spray de pimenta. Barraco eles iam quebrando com o pé, com criança dormindo dentro. As crianças se intoxicaram, a gente disse que tinha criança ferida, não deixaram ninguém socorrer. Não deixaram a gente pegar nada, foi um massacre. O helicóptero vinha baixinho e jogava bomba também. Foi o caos.”

Hoje pela manhã uma comissão foi recebida na prefeitura: “Ofereceram um cadastro pelo CRAS ou pela internet, para gente esperar 10 anos pelo Minha Casa Minha Vida. E queriam nos levar para o abrigo, que disseram não ter vaga para todos.”

Perla explica a demanda dos Sem Teto: “Nós queremos moradia digna. Tantos prédios vazios que eles contruíram com dinheiro da gente, porque não podem dar moradia para o povo?”

Perguntada pela motivo de tanta violência, ela não titubeia: “Isso está acontecendo por causa da Copa. O pobre é lixo pra eles. O que vale é a reunião que ele vão ter amanhã da Copa, com gente de fora. Nós que estávamos lá dentro, a gente não serve pra nada. Só pra pagar imposto pra eles. Ninguém apareceu nem para saber se as crianças estavam bebendo água. Nunca foram lá pra negociar, só pra botar para fora.”

Ela e todas ocupação convocaram para o ato: “Amanhã faremos um protesto pacífico às 8:00h, aqui em frente à Prefeitura. Queremos parar o Rio de Janeiro para eles olharem para o pobre, para o favelado. Jogaram a gente na rua como um lixo, sem direito a nada.”

jornal1071

http://www.sintufrj.org.br/JornalDigital1071/index_Jornal1071.html#/0

Ato de pressão ao governo acesso ao Parque Tecnológico

ATO-10Quinta-feira, dia 10 de abril – Ás 6h30, integrantes do Comando Local de Greve (CLG)/Sintufrj ocuparam a frente do Parque Tecnológico, na Cidade Universitária, promovendo um dos atos mais radicalizados desta greve. Profissionais e estudantes somente tiveram acesso ao local a pé, pois correntes e paus e pneus queimados impediram a entrada de veículos.

O trânsito nas duas ruas que dão acesso ao Parque Tecnológico foi parcialmente interrompido. O tumulto foi causado principalmente pelos ônibus fretados por várias das 52 empresas que compõem o parque e diariamente são responsáveis por engarrafamentos no campus na hora do rush. Bombeiros e a Polícia Militar foram chamados para pôr fim à manifestação, mas a ação dos técnicos-administrativos em educação em greve só foi encerrada às 9h30.

A intenção do CLG/Sintufrj foi chamar a atenção para a greve, que já completou 15 dias, e pressionar o governo federal a iniciar negociações da pauta de reivindicações da categoria. Em todo o país multiplicam-se as ações dos comandos de greve e, na UFRJ, o movimento se intensifica a cada semana.

Assembleia na Reitoria dia 8/4/2014

ASSEMBLEIA-8-4

assem-hojeGreve com mobilização

A categoria decidiu, na assembleia desta terça-feira, dia 8, intensificar a realização de atos de mobilização na universidade e nas ruas, visando garantir a visibilidade da greve e, assim, pressionar o governo a iniciar negociações da pauta de reivindicações com a Fasubra.
Na quinta-feira, dia 10, os trabalhadores realizam o primeiro grande ato na UFRJ, que provavelmente contará com o reforço dos técnicos-administrativos das outras três universidades federais em greve: UFF, Rural e UniRio. Concentração às 6h30, no estacionamento da Reitoria.
Presença da PR-4
A convite do Comando Local de Greve (CLG)/Sintufrj, o pró-reitor de Pessoal Roberto Gambine foi à assembleia dar explicações sobre o mandado de injunção relacionado à aposentadoria especial e sobre os motivos do atraso na entrega dos comprovantes de rendimentos dos trabalhadores. Uma comissão para acompanhar as discussões com a PR-4 sobre a pauta interna de reivindicações foi aprovada pela assembleia, que também deliberou sobre um calendário de atividades de mobilização.
Calendário de mobilização do CLG/Sintufrj
Quarta-feira, dia 9:
Às 10h – Reunião na Praia Vermelha, no teatro de Arena.
Às 10h – Reunião no Museu Nacional.
Às 11h – Atividade na Escola de Educação Infantil, na Cidade Universitária.
Às 14h – Reunião do CLG/Sintufrj no Museu Nacional.
Às 15h – Atividades no campus UFRJ-Macaé.
Às 16h – reunião do Comando Estadual de Greve no Museu Nacional.
Domingo, dia 13: Quinta da Boa Vista (horário a ser definido) – Panfletagem à população e distribuição de balões de gás às crianças com os temas da greve.
Terça-feira, dia 15: Assembleia às 10h, nos pilotis do IPPMG, na Cidade Universitária.

Reunião do CLG/Sintufrj, no dia 1º de abril

REUNIAO-CLG-SINTUFRJ

Reunião do CLG/Sintufrj no IPPMG no dia 3 de abril

REUNIAO-IPPMG

Reunião das Comissões do CLG/Sintufrj no dia 4 de abril

REUNIAO-COMISSAO

Panfletagem do CLG/Sintufrj na Praia Vermelha

PANFLETAGEM-PRAIA-VERMELHA

Assembleia no CT. Dia 1º de abril

ASSEMBLEIA-CT

 

GREVECalendário aprovado

Dia 7/4, segunda-feira:

Às 10h – Reunião do CLG/Sintufrj, na subsede sindical no HUCFF.

Às 16h – Ato pelo Dia Mundial da Saúde, no Largo da Carioca.

Esta luta é nossa. Todos juntos no ato!

Dia 8/4, terça-feira:

Às 10h – Assembleia Geral, no auditório Samira Mesquita (antigo Salão Azul da Reitoria)

Dia 9, quarta-feira:

Às 10h30 – Reunião local na Praia Vermelha, no Teatro de Arena/Palácio Universitário.
Obs.: as reuniões no campus ocorrerão todas as quartas-feiras.

GREVE

Consuni manifesta apoio a greve

O Comando Local de Greve (CLG)/Sintufrj reivindicou, e obteve do Conselho Universitário (Consuni), na quinta-feira, dia 27, o apoio de todos os conselheiros à greve da categoria. O Consuni também aprovou, por unanimidade, moção conjunta das bancadas técnico-administrativa, docente e estudantil solicitando ao governo efetiva negociação da pauta de reivindicação e celeridade  no cumprimento do acordo de greve assinado em 2012.

Antes da manifestação na sessão do Consuni, o CLG/Sintufrj percorreu vários andares do prédio da Reitoria (o salão de reuniões dos órgãos colegiados fica no segundo andar do prédio) numa atividade de conscientização dos trabalhadores indecisos a aderirem à greve. GREVE

NOTA DA DIREÇÃO NACIONAL DA FASUBRA SINDICAL

Em reunião da Direção Nacional, tendo por tema as considerações expostas nos textos avaliativos da conjuntura ID2014MAR16 que foram apreciados nas AGs, após o debate e tendo por base o compromisso com a categoria, reconhecem os diretores ali reunidos que fora inoportuno e inadequado à citação nominal de dirigentes, o que provocou distorções no debate, bem como reafirmam que no conjunto da direção não existem inimigos nem traidores de classe.

Este foi o consenso estabelecido entre os signatários dos dois textos apresentados no ID2014MAR16. A direção entende, ainda, a necessidade de unirmos forças para o encaminhamento unitário das deliberações da categoria.GREVE

Calendário aprovado

Dia 1º de abril, terça-feira:

Às 16h – Integrantes do CLG/Sintufjr prestarão homenagem ao companheiro Afonso Rodrigues.

Às 17h – Participação do CLG/Sintufrj no ato na Candelária da descomemoração do golpe militar.

Dia 2/4, quarta-feira:

Às 8h – Mobilização no Museu Nacional, com panfletagem à população.

Às 10h30 – Mobilização na Praia Vermelha, com panfletagem.

Dia 3/4 , quinta-feira:

Às 8h – Mobilização na Faculdade de Odontologia contra a repressão à greve.

Às 10h30 – Mobilização do CLG/Sintufjr no IPPMG.

Dia 4/4, sexta-feira:

Às 10h – Reunião de todas as comissões do CLG/Sintufrj.

Dia7/7, segunda-feira:

Às 10h – Reunião do CLG/Sintufrj, na subsede sindical no HUCFF.

Às 16h – Ato pelo Dia Mundial da Saúde, no Largo da Carioca.

Dia 8/4, terça-feira:

Às 10h – Assembleia Geral, no auditório Samira Mesquita (antigo Salão Azul da Reitoria)

GREVE

É preciso intensificar a mobilização

 Realização de atos políticos para dar visibilidade à greve foi o que decidiu a assembleia dos técnicos-administrativos da UFRJ realizada no dia 1º de abril, no auditório do Centro de Tecnologia, na cidade Universitária, que aprovou extenso calendário de mobilização com esse objetivo.

A assembleia foi aberta com a triste notícia do falecimento do companheiro Afonso Rodrigues, militante histórico e muito querido na categoria, ex-diretor do Sintufrj. Em sua homenagem,a categoria fez um minuto de silêncio.

Representantes do Departamento Jurídico do Sintufrj prestaram esclarecimentos sobre o mandado de injunção sobre a contagem de tempo especial e as Orientações Normativas 15 e16 editadas pelo governo, que criam obstáculos para a garantia de direitos conquistados pela categoria.

Após as explicações jurídicas, foi proposta a convocação do reitor e de representantes da PR-4 para discutir na assembleia do dia 8 de abril mandado de injunção e as orientações normativas e os temas constantes da pauta interna.

GREVE
Fundo de greve

A assembleia aprovou a criação de um fundo de greve e, depois de longa discussão, foidefinido que o percentual de contribuição seria 0,5%. A assembleia aprovou ainda que a contribuição será de toda categoria e não apenas dos sindicalizados, pois todos serão beneficiados pela greve.

A Comissão de Finanças do Comando Local de Greve (CLG/Sintufrj) discutirá os critérios de utilização dos recursos e a proposta aprovada na assembleia será levada ao Comando Nacional de Grevee (CNG)

GREVE

Calendário de atividades da greve

Ás segundas-feiras: reuniões do CLG/Sintufrj.

Ás terças-feiras: realização das assembleias gerais, seguidas de atos para garantir a visibilidade da greve.

Às quintas-feiras: realização de assembleias itinerantes com mesa de debates sobre Democratização da Universidade e  Carreira, tendo como eixos os pontos da pauta de negociação com o governo.

Às sextas-feiras: às 10h: reuniões das comissões do CLG/Sintufrj, na subsede no HUCFF.

Quarta-feira, dia 26:

Reunião do CLG/Sintufrj no Campus UFRJ-Macaé (manhã).

Reunião do CLG/Sintufrj no Campus UFRJ-Xerém (manhã).

Reunião do CLG/Sintufrj, às 11h, no anfiteatro 01 na Faculdade de odontologia.

Reunião do CLG/Sintufrj, às 13h, no Museu Nacional.

Quinta-feira, dia 27:

Reunião do CLG/Sintufrj, das 14h às 15h, no Observatório do Valongo.

Greve na UFRJ continua

Ato no Consuni quinta-feira, dia 26

Na terça-feira, dia 25, os técnicos-administrativos em educação na UFRJ em greve desde o dia 20 de março, deliberaram que o Comando Local de Greve/Sintufrj entregará ao Conselho Universitário (instância máxima de deliberações na universidade) os eixos gerais da pauta interna de reivindicações. Todos os trabalhadores estão convidados a participar deste ato político. A intenção é realizar uma grande manifestação na Reitoria.

A categoria também aprovou que as assembleias gerais no período da greve serão realizadas às terças-feiras e em auditórios; e no CLG serão discutidas e aprovadas todas as demandas da greve; mas, quando não houver consenso sobre um tema relevante, este será levado para decisão da assembleia.

GREVEFOTO

GREVE

Os trabalhadores aprovaram ainda o seguinte:    

. O CLG/Sintufrj enviará à Fasubra a recomendação para que seja discutida nacionalmente para posterior inclusão na pauta geral, no item Aprimoramento da Carreira, a reposição inflacionária desde 2011;

. Calendário de atividades proposto pelo CLG (leia a seguir);

. Os eixos gerais da pauta de reivindicações interna, sendo que os subitens serão discutidos nos locais de trabalho e em reuniões realizadas em auditório, para acréscimos pela categoria, e enviados para aprovação da assembleia geral;

. Na próxima assembleia, o assessor jurídico do Sintufrj dará explicações sobre o mandado de injunção que garante a aposentadoria especial;

. A proposta do CLG/Sintufrj aprovada na reunião no dia 24 de março, realizada na subsede do HUCFF, de composição de chapa única para o Comando Nacional de Greve;

. Confecção de adesivos com as três palavras de ordem: 30 horas já!; Não ao ponto eletrônico; e Não ao assédio moral.

A greve dos trabalhadores técnicos-administrativos em educação da UFRJ começou na quinta-feira, dia 20, e não tem data para acabar. A categoria reivindica que o governo cumpra integralmente o acordo assinado com a Fasubra em 2012, que pôs fim à greve de cem dias, e reajuste o salário, step e benefícios. Os 15% divididos em três vezes – a última parcela de 5% somente será em 2015 – a inflação já detonou.

_RNS0040

Calendário do Sintufrj/CLG

Segunda-feira, dia 24

Reunião do Comando Local de Greve (CLG), às 10, na subsede sindical no HU. Pauta: elaboração do calendário de atividades; informes locais e nacionais; avaliação de conjuntura e, conforme decisão aprovada na primeira reunião do CLG, no dia 18, eleição dos representantes da categoria ao Comando Nacional de Greve

Terça-feira, dia 25

Assembleia geral, às 10h, nos pilotis da Reitoria. Pauta: informes e avaliação da greve.

É parar ou parar!

Por causa da Copa do Mundo e das eleições, este é um ano que avaliamos é propício para uma greve do funcionalismo público. Saímos sozinhos, mas se a gente realmente parar, esvaziar os locais de trabalho as nossas chances de vitória serão maiores.

Companheiros: vamos assumir a nossa greve de fato e com muita dignidade exigir melhorias nos nossos contracheques. Greve se faz com atitude. Venha para o Comando Local de Greve se fortalecer com a companheirada. A luta é sua e de todos nós. Se a gente não se encher de coragem e vontade de transformar a nossa realidade dificilmente alguém fará por nós.

Mobilização nas bases

Desde terça-feira, dia 18, o Comando Local de Greve (CLG) foi instalado. Quatro comissões foram criadas: Comunicação, Ética, Infraestrutura e Finanças para dividir as tarefas que darão suporte à nossa greve. Um calendário de ações de mobilização imediatamente foi posto em prática e, desde então, vários companheiros se dividem pela manhã e à tarde, em panfletagens nas unidades e/ou realizando reuniões de conscientização da greve. A UFRJ sempre fez história por ser vanguarda no movimento sindical entre as Ifes, e com certeza vamos, mais uma vez, liderar esta luta nacional dos técnicos-administrativos em educação.

Reunião do CLG

Na segunda-feira, dia 24, às 10h, na subsede do Sintufrj no HUCFF, o Comando Local de Greve se reúne. Na pauta, conforme decisão aprovada na reunião anterior, serão eleitos os representantes da categoria na UFRJ para integrar o Comando Nacional de Greve. Não deixe de ir, porque você faz muito falta.

Assembleia: não deixe de ir

Na terça-feira, dia 25, às 10h, nos pilotis da Reitoria. Será a primeira assembleia de avaliação da nossa greve, por isso ela é muito importante. Vá e leve seus colegas de setor. É a oportunidade para discutirmos os problemas que possam estar existindo e atrapalhando a nossa greve. Também vamos nos inteirar sobre a greve país afora e sobre a movimentação da Fasubra na pressão ao governo.

Publicado por: SINTUFRJ | 01/04/2014

Consuni manifesta apoio a greve

Consuni manifesta apoio a greve

O Comando Local de Greve (CLG)/Sintufrj reivindicou, e obteve do Conselho Universitário (Consuni), na quinta-feira, dia 27, o apoio de todos os conselheiros à greve da categoria. O Consuni também aprovou, por unanimidade, moção conjunta das bancadas técnico-administrativa, docente e estudantil solicitando ao governo efetiva negociação da pauta de reivindicação e celeridade  no cumprimento do acordo de greve assinado em 2012.

Antes da manifestação na sessão do Consuni, o CLG/Sintufrj percorreu vários andares do prédio da Reitoria (o salão de reuniões dos órgãos colegiados fica no segundo andar do prédio) numa atividade de conscientização dos trabalhadores indecisos a aderirem à greve.

Publicado por: SINTUFRJ | 22/03/2014

Jornal do Sintufrj 1068

Jornal do Sintufrj 1068

Publicado por: SINTUFRJ | 21/03/2014

ESTAMOS EM GREVE

 

GREVE

Consuni manifesta apoio a greve

O Comando Local de Greve (CLG)/Sintufrj reivindicou, e obteve do Conselho Universitário (Consuni), na quinta-feira, dia 27, o apoio de todos os conselheiros à greve da categoria. O Consuni também aprovou, por unanimidade, moção conjunta das bancadas técnico-administrativa, docente e estudantil solicitando ao governo efetiva negociação da pauta de reivindicação e celeridade  no cumprimento do acordo de greve assinado em 2012.

Antes da manifestação na sessão do Consuni, o CLG/Sintufrj percorreu vários andares do prédio da Reitoria (o salão de reuniões dos órgãos colegiados fica no segundo andar do prédio) numa atividade de conscientização dos trabalhadores indecisos a aderirem à greve.

NOTA DA DIREÇÃO NACIONAL DA FASUBRA SINDICAL

Em reunião da Direção Nacional, tendo por tema as considerações expostas nos textos avaliativos da conjuntura ID2014MAR16 que foram apreciados nas AGs, após o debate e tendo por base o compromisso com a categoria, reconhecem os diretores ali reunidos que fora inoportuno e inadequado à citação nominal de dirigentes, o que provocou distorções no debate, bem como reafirmam que no conjunto da direção não existem inimigos nem traidores de classe.

Este foi o consenso estabelecido entre os signatários dos dois textos apresentados no ID2014MAR16. A direção entende, ainda, a necessidade de unirmos forças para o encaminhamento unitário das deliberações da categoria.

Calendário aprovado

Dia 1º de abril, terça-feira:

Às 16h – Integrantes do CLG/Sintufjr prestarão homenagem ao companheiro Afonso Rodrigues.

Às 17h – Participação do CLG/Sintufrj no ato na Candelária da descomemoração do golpe militar.

Dia 2/4, quarta-feira:

Às 8h – Mobilização no Museu Nacional, com panfletagem à população.

Às 10h30 – Mobilização na Praia Vermelha, com panfletagem.

Dia 3/4 , quinta-feira:

Às 8h – Mobilização na Faculdade de Odontologia contra a repressão à greve.

Às 10h30 – Mobilização do CLG/Sintufjr no IPPMG.

Dia 4/4, sexta-feira:

Às 10h – Reunião de todas as comissões do CLG/Sintufrj.

Dia7/7, segunda-feira:

Às 10h – Reunião do CLG/Sintufrj, na subsede sindical no HUCFF.

Às 16h – Ato pelo Dia Mundial da Saúde, no Largo da Carioca.

Dia 8/4, terça-feira:

Às 10h – Assembleia Geral, no auditório Samira Mesquita (antigo Salão Azul da Reitoria)

É preciso intensificar a mobilização

 Realização de atos políticos para dar visibilidade à greve foi o que decidiu a assembleia dos técnicos-administrativos da UFRJ realizada no dia 1º de abril, no auditório do Centro de Tecnologia, na cidade Universitária, que aprovou extenso calendário de mobilização com esse objetivo.

A assembleia foi aberta com a triste notícia do falecimento do companheiro Afonso Rodrigues, militante histórico e muito querido na categoria, ex-diretor do Sintufrj. Em sua homenagem,a categoria fez um minuto de silêncio.

Representantes do Departamento Jurídico do Sintufrj prestaram esclarecimentos sobre o mandado de injunção sobre a contagem de tempo especial e as Orientações Normativas 15 e16 editadas pelo governo, que criam obstáculos para a garantia de direitos conquistados pela categoria.

Após as explicações jurídicas, foi proposta a convocação do reitor e de representantes da PR-4 para discutir na assembleia do dia 8 de abril mandado de injunção e as orientações normativas e os temas constantes da pauta interna.
Fundo de greve

A assembleia aprovou a criação de um fundo de greve e, depois de longa discussão, foidefinido que o percentual de contribuição seria 0,5%. A assembleia aprovou ainda que a contribuição será de toda categoria e não apenas dos sindicalizados, pois todos serão beneficiados pela greve.

A Comissão de Finanças do Comando Local de Greve (CLG/Sintufrj) discutirá os critérios de utilização dos recursos e a proposta aprovada na assembleia será levada ao Comando Nacional de Grevee (CNG)

Calendário de atividades da greve

Ás segundas-feiras: reuniões do CLG/Sintufrj.

Ás terças-feiras: realização das assembleias gerais, seguidas de atos para garantir a visibilidade da greve.

Às quintas-feiras: realização de assembleias itinerantes com mesa de debates sobre Democratização da Universidade e  Carreira, tendo como eixos os pontos da pauta de negociação com o governo.

Às sextas-feiras: às 10h: reuniões das comissões do CLG/Sintufrj, na subsede no HUCFF.

Quarta-feira, dia 26:

Reunião do CLG/Sintufrj no Campus UFRJ-Macaé (manhã).

Reunião do CLG/Sintufrj no Campus UFRJ-Xerém (manhã).

Reunião do CLG/Sintufrj, às 11h, no anfiteatro 01 na Faculdade de odontologia.

Reunião do CLG/Sintufrj, às 13h, no Museu Nacional.

Quinta-feira, dia 27:

Reunião do CLG/Sintufrj, das 14h às 15h, no Observatório do Valongo.

Greve na UFRJ continua

Ato no Consuni quinta-feira, dia 26

Na terça-feira, dia 25, os técnicos-administrativos em educação na UFRJ em greve desde o dia 20 de março, deliberaram que o Comando Local de Greve/Sintufrj entregará ao Conselho Universitário (instância máxima de deliberações na universidade) os eixos gerais da pauta interna de reivindicações. Todos os trabalhadores estão convidados a participar deste ato político. A intenção é realizar uma grande manifestação na Reitoria.

A categoria também aprovou que as assembleias gerais no período da greve serão realizadas às terças-feiras e em auditórios; e no CLG serão discutidas e aprovadas todas as demandas da greve; mas, quando não houver consenso sobre um tema relevante, este será levado para decisão da assembleia.

GREVEFOTO

GREVE

Os trabalhadores aprovaram ainda o seguinte:    

. O CLG/Sintufrj enviará à Fasubra a recomendação para que seja discutida nacionalmente para posterior inclusão na pauta geral, no item Aprimoramento da Carreira, a reposição inflacionária desde 2011;

. Calendário de atividades proposto pelo CLG (leia a seguir);

. Os eixos gerais da pauta de reivindicações interna, sendo que os subitens serão discutidos nos locais de trabalho e em reuniões realizadas em auditório, para acréscimos pela categoria, e enviados para aprovação da assembleia geral;

. Na próxima assembleia, o assessor jurídico do Sintufrj dará explicações sobre o mandado de injunção que garante a aposentadoria especial;

. A proposta do CLG/Sintufrj aprovada na reunião no dia 24 de março, realizada na subsede do HUCFF, de composição de chapa única para o Comando Nacional de Greve;

. Confecção de adesivos com as três palavras de ordem: 30 horas já!; Não ao ponto eletrônico; e Não ao assédio moral.

A greve dos trabalhadores técnicos-administrativos em educação da UFRJ começou na quinta-feira, dia 20, e não tem data para acabar. A categoria reivindica que o governo cumpra integralmente o acordo assinado com a Fasubra em 2012, que pôs fim à greve de cem dias, e reajuste o salário, step e benefícios. Os 15% divididos em três vezes – a última parcela de 5% somente será em 2015 – a inflação já detonou.

_RNS0040

Calendário do Sintufrj/CLG

Segunda-feira, dia 24

Reunião do Comando Local de Greve (CLG), às 10, na subsede sindical no HU. Pauta: elaboração do calendário de atividades; informes locais e nacionais; avaliação de conjuntura e, conforme decisão aprovada na primeira reunião do CLG, no dia 18, eleição dos representantes da categoria ao Comando Nacional de Greve

Terça-feira, dia 25

Assembleia geral, às 10h, nos pilotis da Reitoria. Pauta: informes e avaliação da greve.

É parar ou parar!

Por causa da Copa do Mundo e das eleições, este é um ano que avaliamos é propício para uma greve do funcionalismo público. Saímos sozinhos, mas se a gente realmente parar, esvaziar os locais de trabalho as nossas chances de vitória serão maiores.

Companheiros: vamos assumir a nossa greve de fato e com muita dignidade exigir melhorias nos nossos contracheques. Greve se faz com atitude. Venha para o Comando Local de Greve se fortalecer com a companheirada. A luta é sua e de todos nós. Se a gente não se encher de coragem e vontade de transformar a nossa realidade dificilmente alguém fará por nós.

Mobilização nas bases

Desde terça-feira, dia 18, o Comando Local de Greve (CLG) foi instalado. Quatro comissões foram criadas: Comunicação, Ética, Infraestrutura e Finanças para dividir as tarefas que darão suporte à nossa greve. Um calendário de ações de mobilização imediatamente foi posto em prática e, desde então, vários companheiros se dividem pela manhã e à tarde, em panfletagens nas unidades e/ou realizando reuniões de conscientização da greve. A UFRJ sempre fez história por ser vanguarda no movimento sindical entre as Ifes, e com certeza vamos, mais uma vez, liderar esta luta nacional dos técnicos-administrativos em educação.

Reunião do CLG

Na segunda-feira, dia 24, às 10h, na subsede do Sintufrj no HUCFF, o Comando Local de Greve se reúne. Na pauta, conforme decisão aprovada na reunião anterior, serão eleitos os representantes da categoria na UFRJ para integrar o Comando Nacional de Greve. Não deixe de ir, porque você faz muito falta.

Assembleia: não deixe de ir

Na terça-feira, dia 25, às 10h, nos pilotis da Reitoria. Será a primeira assembleia de avaliação da nossa greve, por isso ela é muito importante. Vá e leve seus colegas de setor. É a oportunidade para discutirmos os problemas que possam estar existindo e atrapalhando a nossa greve. Também vamos nos inteirar sobre a greve país afora e sobre a movimentação da Fasubra na pressão ao governo.

Publicado por: SINTUFRJ | 19/03/2014

Categoria deflagra greve a partir do dia 20

greve1

Os técnicos-administrativos em educação da UFRJ decidem parar por tempo indeterminado e reivindicam pauta com repercussão financeira. Esta decisão foi tomada na assembleia segunda-feira, dia 17, nos pilotis da Reitoria, que reuniu mais de 800 trabalhadores – contingente maior que o exigido pelo Estatuto do Sintufrj para deflagração de greve.

Nas avaliações ficou evidente a insatisfação da categoria com o governo, que continua enrolando na mesa de negociação e não cumpre na íntegra o acordo da greve de 2012, e agora diz que não atenderá os pontos da pauta com repercussão financeira.

Avaliações

Algumas avaliações apontaram que houve avanços na negociação das nossas reivindicações entre a Fasubra e o governo, ocorridas nas últimas semanas, como, por exemplo, no item democratização nas Ifes com a aceitação da proposta de alteração da legislação para garantir a paridade entre técnicos-administrativos, docentes e estudantes no processo eleitoral para escolha de reitor.

O governo também admite a possibilidade de afastamento do trabalho para cursar pós-graduação, inclusive os técnicos-administrativos em estágio probatório, a exemplo do que já ocorre com os docentes, e o reconhecimento dos cursos de pós-graduação realizados fora do país.

Foi acordada também a alteração da lei que permite utilizar as disciplinas de uma segunda pós-graduação para progressão por capacitação, e a edição de portaria para regulamentar a execução do dimensionamento da força de trabalho.

É greve!

Mas, depois de dois anos desrespeitando o acordo de 2012 e com a recusa de atender as reivindicações financeiras, a categoria na UFRJ   entendeu que os itens negociados eram insuficientes para adiar a greve. Assim, com apenas seis votos contra e cinco abstenções, os trabalhadores deflagraram a greve por tempo indeterminado. O movimento grevista somente não foi iniciado na própria segunda-feira por necessidade de cumprimento de prazo judicial, conforme determina a Lei de Greve.

Comando Local de Greve

A primeira reunião do Comando Local de Greve (CLG) realizada na terça-feira, dia 18, às 10h, no Espaço Cultural do Sintufrj, criou as Comissões de Comunicação, Ética, Infraestrutura e Finanças, elaborou o calendário de atividades da semana e deliberou pela realização de assembleia geral na terça-feira, dia 25.  

Na segunda-feira, dia 24, às 10h, o CLG se reúne pela segunda vez. Ponto de encontro: sede do Sintufrj. Companheiros:todos estão convidados a participar e dar sua contribuição para a nossa greve. 

Calendário de atividades

Quarta-feira, dia 19 – panfletagem nas unidades a partir das 8h.

Quinta-feira, dia 20 – pela manhã, panfletagem às 8h, nos seguintes locais, simultaneamente: HUCFF e Reitoria. À tarde,reunião das comissões no Espaço Cultural do Sintufrj, às 15h.

Sexta-feira, dia 21 – às 8h, mobilização na Praia Vermelha. Concentração na subsede sindical.

  • Segunda-feira, dia 24, às 10h – reunião do CLG. Ponto de encontro: sede do Sintufrj.

Categorias

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 851 outros seguidores